Dia 70 - Quem escreve sua história?



O que te impede de escrever ou reescrever sua história?
Por que tem tanto medo de errar?
Por que permanece calado enquanto as pessoas dizem o que é melhor pra você?
Por que não se levanta agora e anda em direção a seu futuro?
Quem te segura?
Quem te domina?
Quem fala com você?
Conhece aquela voz?
Aquela sem corpo, sem pêlo, sem pretensão, que não tem reflexo no espelho, mas ecoa em ti?
Conheces a ti mesmo?
O que sabes da vida e seus mistérios?
Prevê o futuro?
Como trata seu presente? Como presente ou como apenas mais um dia?
Eu sei tanto dessas coisas quanto você...
Eu sei tudo sobre nada, quero tudo e nada tenho, porquê?
Não tenho olhos...meus sentidos estão ocupados, buscando sentido no óbvio, não vejo além do meu umbigo, nem sinto meus pés, porque se os sentisse iria em algum lugar, não em lugar nenhum.
Perdemos tempo julgando, achando, ruminando nossos medos e aflições...
Sempre temos, no mínimo, duas opções. Não importa se são ou não o que queríamos, mas temos.
Então não diga que não pode.
Diga que não quer, e assuma de uma vez seu medo e o fato de que por ele passará seus dias.
Passarás, porque não viverás.
Na sua frente há uma folha em branco e nela poderá escrever sua vida.
O que gostaria de ler no final?
Não gosta de ler? Que pena...
Tomara que goste de escrever.

Comentários

elvira carvalho disse…
Muito bonito Geo. É seu?
Gostei imenso. A verdade é que ás vezes o medo é maior do que a vontade de escrever...
Bjs
Anônimo disse…
Costumo dizer que não toco piano mas a minha musica...é minha. De facto escrevemos sempre, entende?...o drama é exactamente esse...mesmo quando optamos por não viver por medo ou qualquer outra razão essa é a página que escrevemos.
gostava que me ajudasse nesta questão que me atormenta:
Gosto de ler e de escrever. Imagino que tb goste...que sentiria se a cada livro que lesse independentemente da história o fim fosse sempre o mesmo...e de todos os textos que escrevesse o fim...sempre...sempre ...o mesmo?
Torga falava da inutil persistência de um rio a correr para o mar...este nunca fica doce...
Assim que na história que escrevo tento que na responsabilidade que tive em trazer duas crianças ao mundo elas sejam felizes...o resto...bem suponho que pouco mas vai-me lendo...
Um Beijo
Vicente