Dia 82 - "Pão e circo para o povo"


Quinta-feira passada fui roubada, roubaram meu celular dentro do ônibus quando estava indo para o trabalho, a primeira reação foi um susto, a segunda um olhar tenso e perdido procurando inutilmente ao meu redor um suspeito, a terceira foi concluir que todos e nenhum eram suspeitos, a quarta foi me sentir impotente e burra.


Me senti burra sim porque estava distraída demais para cuidar das minhas coisas e também por ter deixado o aparelho em tão fácil acesso.


Me senti revoltada por trabalhar tanto para conseguir meus bens para que outra pessoa o pegue e venda a "troco de bananas", se gabando as custas do trabalho dos outros.


Indignada fiquei por me sentir invadida!


O celular é só um aparelho, só um meio de comunicação, nada tinha nele que não posso recuperar, nada que valesse uma tristeza. Não, não fiquei triste. Apenas indignada por me sentir inútil diante desta realidade na qual as pessoas estão perdendo seus valores.


Sempre disse isso, "o ser humano está perdendo seu valor". O respeito, a compaixão, a humildade, a educação...mas uma coisa é certa, não importa sua classe social, o que importa são os valores de seus pais, o que é transmitido para você, o uso que você faz destes ensinamentos e o que você passará a seus filhos.


Não estou dizendo que o governo não é responsável pela educação, segurança, saúde e emprego. Não é isso. Estou falando da responsabilidade enquanto cidadão, ser humano, pai, mãe, irmão, filho, povo!!!!


As pessoas estão banalizando as pessoas, assim como fazemos com coisas, estamos tratando pessoas como eu tratei meu celular, como máquina, meio, apenas meios...


Onde está o respeito pelo direito do outro?

Onde está o limite que me separa de você e que me dá o direito de ir e vir sem que me invadam a bolsa, o corpo, o pensamento?


Somos invadidos todos os dias, na rua, na escola, no trabalho e até em casa quando nos sentamos para assistir TV e nos deparamos com a pobreza de valores que nos são transmitidos.


Me digam, quem quer ser professor?

- Eu respondo...Ninguém.


Professores ganham mal, são agredidos e mortos, porquê? Porque um povo culto é um povo exigente, não aceitarão que políticos de merda subam ao poder e nos façam de gado. Políticos que criam leis que impedem professores de reprovarem alunos de ensino fundamental (que não sabem ler e escrever), crianças mal educadas e mutiladas intectualmente, que seguem em frente sem se darem conta de que o que lhe oferecem como oportunidade são apenas migalhas. E os professores que não se conformam com essa situação, que se atrevem a oferecer mais que "arroz e feijão" sofrem, muitas vezes, na pele a dor dessa situação degradante.


Hoje, notícia é ser honesto, quando alguém devolve dinheiro, no Brasil, vira notícia, aparece no jornal como se fosse um ser em extinção.


Pena que na maioria das vezes "PÃO E CIRCO" nos bastam.

Comentários

Anônimo disse…
Olá,
Somos filhos desta pulitica de saia curta, maquiada de democracia, que anafada e roliça se vende nas esquinas dos bancos pelo preço certo. Ostenta um corpo com formas generosas de fálicas promessas, e o convite, nas pernas abertas, para um mundo melhor. Mas, por dentro, está podre de gonorreia e sifilis para quem se deixa tentar.
Somos filhos desta pulitica que tem um prazer doentio em violentar sem qualquer pudor esta jovem democracia de Abril. É a ditadura da maioria, e, não nos enganemos, a maioria são todos eles os que chegados ao poder criaram este prostibulo. Esses chulos que tratam sem remorsos de taxar todo o serviço que prestam, fazendo questão de ao repartir ficar com a melhor parte. Têm arte. Dão umas rapidinhas pela educação,depois pela saúde...tudo para nosso bem. Mas a F...do século é a reforma da administração pública. Estes chulos de cartão em riste que impõem ao outros o que fazem questão de se isentarem.
Somos filhos e irmãos somos. Filhos desta puta insaciável é altura de dizer basta. De libertar esta democracia destes vampiros que tratam de se estabelecerem à custa do sangue, suor e lágrimas de todos nós. Chegou a altura de dizer basta! De dizer não! Que o sol quando nasce é para todos, que a riqueza de poucos tem o preço de dois milhões no limiar da pobreza. Chegou a altura de denunciar, de apontar, de corromper, implicar, agir. Hoje mais que nunca a verdadeira obra de misericórdia é acordar o resignado, o adormecido. Eles comem tudo...ou comem o que deixamos que comam?
Hoje acordei de um sonho e acordado vi e não me posso calar : o Rei Vai Nu. Esta democracia não é. Filhos somos não deixemos que chulem a nossa mãe.
Lamento o que lhe sucedeu...
Um Beijo Vicente
Anderson San disse…
É minha linda não é fácil, tem coisas que acontecem com a gente , que são lições para que não aconteçam mais ou que sejam dificultadas de acontecer como no caso assalto, tem ficar ligada, em todos e em tudo, bolsa p/ frente e a mão por cima, o sistema é bruto msm, não tem pra onde correr, lembra do lema dos escoteiros....


"SEMPRE ALERTA" qq coisa pode me gritar tb
elvira carvalho disse…
É Geo acontece com mais frequência do que é de desejar.
Aqui também acontece muito. Porém a polícia já tem meio de recuperar os telemóveis. Pelo menos cá. Em julho passado o cunhado do meu filho foi vítima de roubo do seu telemóvel, última geração que tinha acabado de receber de prenda de anos. Foi á polícia e recebeu na semana passada o telemóvel que a policia foi encontrar em Espanha. Parece que veem equipados com um código que alerta de onde está para a operadora cada vez que se faz uma chamada.
Um abraço