Dia 166 - Crueza

Somos espectadores numa terra de injustiça.
Achamos que ela (a Terra) é injusta, mas somos os causadores da sua ferida. E ela grita!
Somos os cegos, pensamos ser Reis...e aos Reis damos emprego e a Deus uma outra vez.
Somos espectadores de nossa própria encenação...hora cínicos, hora dissimulados, hora hipócritas...hora vítimas do nosso fardo, somos autores, mas queremos ser coitados...
Sentamos em círculo e pregamos a igualdade, mas queremos ser diferentes de todos da sociedade.
Ser igual não satisfaz!
Não vejo o abandonado.
Não vejo o descamisado.
Não vejo a senhora idosa que está do meu lado.
Não vejo a criança vendendo miúdos por um trocado.
Não vejo o soldado mal treinado.
Não vejo o pai de família desempregado.
Não vejo o roxo no rosto da dona que mora ao lado.
Não vejo o corpo da menina violado.
Não vejo o político corrupto que me devora e não é culpado.
Não vejo a hora...pois meu relógio está atrasado.
E a criança tem um sonho.
Um coitado sente frio.
Um médico se sente um aleijado, impotente diante de um pobre atormentado.
Um louco tem mais sanidade que um diplomado.
E um rico não passa de um pobre arrumado.
Mas, todo mundo quer ser bem arrumado!
E nos custa deixar rolar uma lágrima...
E nos custa tocar alguém...
Oh Deus! Estamos tão condicionados!
Parecemos cães treinados.
Não sabemos mais sentir.
E a lágrima que rola sobre minha face é fria e parida, chega a doer em sua saída...
E não sei mais tocar, não sei ver, não tenho paladar...ouvir nem pensar...preciso consumir....mostrar....
Serei eu mais respeitada se ninguém se aproximar?
Serei eu mais dona de mim se me fizer fria assim?
Não adianta embelezar...onde a beleza não está.
Não adianta dizer que sente muito, quando nada sente...nessas horas a educação me surpreende!
A empatia inexiste...num mundo onde o Eu ainda é ditador...
Então me calo, me cego, corto as mãos para não estendê-las, os pés para não me levantar...
Me faço de louca. Não me perguntem?!
Onde isso tudo vai parar?
"Eu" não estou aqui, nem estava lá.
Não foi "Eu".
"Eu" não "vivo" neste lugar.

Comentários

elvira carvalho disse…
Magnífico Geo. Um excelente post que de tão real até arrepia.
Já pensou alguma vez em publicar um livro? Sou fã da sua escrita deste que entrei neste blog pela primeira vez.
Um abraço amiga
gosto sempre de passar por aqui...voltarei!
bom domingo
beijos
carla
O Profeta disse…
És realmente um ser suprior...é imensa a tua riqueza interior...


Doce beijo