Dia 183 - Quite

Foi uma pontada, uma só...do lado esquerdo, abafada, uma ardência e depois um nó...
Foi um olhar desacreditado, daqueles que mesmo diante do fato, ainda precisam de mais resultados...
Foi o sonho que não se viveu, o amor que não era doce e também não aconteceu.
Foi como estou dizendo...
Passou correndo, passou, não ficou.
Aquele sorriso constatado, não era forçado, mas também não era eu que estava do lado.
Foi...o que nunca foi...e o que poderia ter sido, não foi...morreu comigo.
Agora, com o peito ardendo, foi também, e definitivamente, meu último apego.
Cansei de estar enganada, procurar menos do que mereço...este foi...
Não é mais, ainda bem!
Foi...a última parcela do meu preço!

Quite.

Comentários

elvira carvalho disse…
Caramba que post Geo! Tão cheio de desalento, tão falho de esperança, meu Deus eu queria escrever assim com 90 anos. (Se ainda por cá andar)
Depois de todo este tempo em silêncio, eu estava à espera de um post vibrante de alegria e felicidade e de uma história que aconteceu, não de uns sonhos que morreram de ataque cardíaco.
Falando sério. Espero que esteja tudo bem e que este post seja só mais um fruto da sua imaginação.
Abraço grande e saudoso.
Geo disse…
Querida Elvira,

Este foi só um momento que...já passou...já faz um tempo. Ele está aqui registrado por um único motivo, sentia que devia postá-lo, mesmo estando ele, agora, totalmente errado. Não me sinto assim...não mais. Agora é outra história...mais feliz! Este foi
apenas um ponto final, nada mais.

Beijos!!