Dia 201 - (Des)Abafo/(Des)Afeto

O tempo traz e o tempo leva, quanto tempo dura uma promessa?
Dura o tempo do seu coração, dura o tempo exato do seu sentimento ou de sua ilusão.
Amigos, tem horas que as palavras fogem de mim, eu sou assim, confusa mas, intensa.
Eu confesso que errei muitas vezes, recentemente também, errei comigo, errei com outro alguém e errante vou caminhando, um pé aqui e outro desencontro.
Confesso ser meu próprio algoz, se não na voz, nos atos ou até nos pensamentos, mas uma coisa eu vou aprendendo a ouvir meus sentimentos.
E sinto.
E choro.
Mas vivo.
Peço a Deus um abrigo, uma luz, uma explicação. Agradeço pela comida, pela bebida e por me aguentar com tanta lamentação.
Peço a vocês paciência pois sou demasiadamente apaixonada pelo amor para nunca pedir clemência ou voltar atrás. Eu volto... mas também sei dizer: - Até nunca mais!
Fui ferida mais uma vez, primeiro por mim e depois por outro alguém. E nada disso importa quando damos com a cara na porta, porque dói, mas bati também e embora o gesto do segundo não justifique o do primeiro. O do segundo confesso foi direto no alvo e me acertou em cheio. Caí. Doeu. Levantei.
Agora já deu. Estou cansada demais pra me dar o trabalho de dizer a ele o meu adeus.
Mesmo porque ele nem sequer se deu o trabalho de me dizer: - Não te quero mais!
Então, ambos poupamos energias e filosofias e paramos por aqui.
Ele não merece minhas palavras e eu não mereço dedicá-las a quem elas não significam nada.
Que descanse em paz.(ponto)

Comentários

Amélie™ disse…
Olá! Gostei muito do texto e de seu cantinho. Passarei aqui mais vezes.
Bjs