Dia 200 - Minha Páscoa

Quando pequena minha mãe tinha uma bíblia de capa marrom que eu adorava folhear, não porque soubesse ler, pois ela já a tinha antes que as letras me fossem apresentadas. Eu a adorava por causa das figuras. Eram muitas figuras, bem coloridas, que contavam uma história que eu ainda não compreendia. A história contada em imagens era de um homem muito bondoso que viajou por muitos lugares para falar com muitas pessoas, no entanto, em certo momento as imagens contavam que este mesmo homem foi preso, maltratado e pregado numa cruz. Mamãe me contou quem era ele e eu, apesar de compadecida pela situação, ainda não compreendia a razão de todo aquele sofrimento. Não entendia o motivo de terem feito ele sofrer. Adiante no livro havia uma imagem deste mesmo homem imponente nos céus sobre nuvens vermelhas e anjos ao seu redor com trombetas, as pessoas na terra junto aos seus entes queridos olhavam com certo temor e ansiedade para o homem nos céus como se esperassem que algo ainda maior acontecesse.

Entretanto, dentre todas as imagens que eu tanto admirava havia uma em especial, era quando ele sorria, sentado sobre uma pedra num grande pasto verde com uma ovelha nas mãos. O seu sorriso a tudo iluminava e eu queria ser aquela ovelha, tão amada!

Eu confesso que iria falar sobre o significado da Páscoa, o motivo do coelho nos presentear com ovos, de onde vieram os ovos de chocolate e o por que da escolha do chocolate. Entretanto, prefiro folhear mentalmente aquele bíblia antiga da minha mãe e apreciar aquele sorriso.

Todas as vezes que me sinto aquela ovelha algo renasce em mim, e um amor profundo e puro pulsa em meu peito e por alguns minutos me esqueço de todas as mágoas que senti, da raiva que despejei em alguém, das angústias injustificadas, das palavras (mal)ditas, das feridas que provoquei e que recebi, das tristezas e dificuldades, das palavras vazias e até da maldade. Me esqueço de ser homem e sou ovelha, amo e sou amada. E neste minuto eu quero distribuir minhas palavras, distribuir este amor, compartilhar minha alegria, acalentar outra dor, eu quero ser irmão, amigo, só coração. Eu ressuscito para Deus e ele entra em minha morada.

Eis para mim o significado da Páscoa, o ciclo da vida renovado primeiro dentro de nós.

Meus amigos/irmãos, nosso corpo é apenas uma casa temporária e assim como qualquer casa precisa de conteúdo para fazer jus a sua condição. Um corpo sem sentimentos, um corpo sem coração, um corpo sem um (bom) propósito, um corpo sem amor é casca que seca e morre para sempre. Mas o que aprendemos, o que partilhamos e o que deixamos de bom nas pessoas é eterno. Neste domingo será exatamente isso que iremos comemorar, o legado de um homem que nos ensinou até onde o amor pode nos levar e que por amor se sacrificou em nosso lugar.

O que mais posso desejar?

Muito Amor pra todos!!!!! E só pra começar...

Feliz Páscoa!


Comentários

Suelen disse…
Show o seu bog!Abraços!

http://minutosemcerebro.blogspot.com
Diego Cosmo disse…
http://dcosmo.blogspot.com - Constantes reflexões, Rumo a novos pensamentos! "Cosmo a Pé"