Dia 209 - Palavras e Ações

Iniciaram as campanhas políticas e, mais do que rever o comportamento dos candidatos, temos que rever primeiro o nosso comportamento. Mais do que Palavras, Ações.
O texto que irei transcrever aqui recebi de um amigo, coincidência ou não foi, exatamente, a um ano atrás.

Espero que gostem...


PALAVRAS E AÇÕES


O filósofo americano Ralph Waldo Emerson tem uma frase interessante quando trata a respeito das relações humanas. Diz o seguinte: Quem você é fala tão alto, que não consigo ouvir o que você está dizendo.


Quantas vezes já pensamos a respeito disso? Quantas vezes já avaliamos o quanto nossas ações pesam no nosso cotidiano?


Muitas vezes, gostaríamos de ter um mundo mais justo, respeitoso. Discursamos de maneira eloquente, usando raciocínio lógico e perspicaz.


Doutras vezes exigimos do político, do chefe, do parente ações mais justas, posicionamento mais claro, atitude mais honesta.


Indignamo-nos perante as injustiças sociais, escrevemos para os jornais, mandamos correios eletrônicos a uma infinidade de contatos, a fim de expressar nossa opinião.


Tudo isso é muito justo e o correto exercício de cidadania cabe a cada um de nós de maneira impostergável.


Porém, já refletimos o quanto nossas palavras são efetivamente coerentes com nossas ações? Quanto de nosso discurso faz eco com nossos atos?


Ninguém tem o direito de exigir do outro aquilo que ainda não se esforça por oferecer.


Se você recebe um troco a mais no caixa da padaria, e não se incomoda em devolver o que não lhe pertence, é furto.


Se você não se incomoda em subornar o policial quando está sujeito a uma multa, está fomentando a corrupção.


E se você falsifica documentações e recibos, a fim de forjar sua declaração de renda, está incorrendo em crime contra o Estado.


Muito embora desejemos uma sociedade melhor, faz-se necessário uma análise do nosso proceder, a fim de que entendamos se nossas ações são coerentes com nosso discurso.


Quem furta pouco, no troco do supermercado, furtaria muito, se tivesse oportunidade. Assim, se você deseja políticos mais honestos, que a honestidade comece por você.


Quem suborna em uma aparentemente inocente multa, compraria consciências a qualquer preço, se assim tivesse condições.


Desta forma, se você anseia por relações sociais justas e direitos iguais para todos, comece por não exigir privilégios que não têm cabimento.


Quem não cumpre suas obrigações sociais, a partir da sua própria declaração de renda, não titubearia em forjar licitações, negociações ou desviar dinheiro público.


* * *


Se você sonha com governantes e homens de negócios que passem ao largo de conchavos e formação de quadrilhas de paletó, comece por você.


Só teremos direito de exigir uma sociedade mais justa, a partir do momento em que nosso discurso se concretize em valores e ações.


Até lá, correremos o risco de estarmos como o filósofo previu: nossas ações falarão tão alto, que ninguém conseguirá escutar o que estamos dizendo.


Redação do Momento Espírita.
Em 24.09.2009"
 

Comentários

Vicente disse…
"Não importa o quão pequeno ou sem importância o que estamos fazendo possa parecer. Se o fizermos bem, isso pode em breve se transformar no passo que nos guiará para coisas melhores."(Channing Pollock)

"Eu não posso fazer tudo, mas posso fazer alguma coisa. Se todos nós fizéssemos alguma coisa, poderíamos conquistar qualquer coisa."
(Robert L. Shimmel)

Essas duas frases se encaixam perfeitamente ao texto. Façamos nossa parte. O Manual da vida é nossa consciência, leiam ele de vez em quando. Abraços.
Adorei a charge... uahsuahsuahs
Texto muito bom tbm
BRANCAMAR disse…
Querida Geo,

Gostei muito deste texto e do pensamento de Ralph Waldo Emerson, sempre pensei como ele e sempre digo isso por aqui. Todos acham que Estado é paizinho, que tem que dar tudo, emquanto os outros esperam na sombra da bananeira, ou não dão o exemplo daquilo que reclamam. Sobretudo aqueles que fogem aos impostos e a desculpa é sempre a de que o estado também rouba, então há que fazer o mesmo, "uma pescadinha de rabo na boca."
Nisso, nossos dois povos têm uma cultura de política muito parecida, um círculo vicioso que não acaba.

Beijinhos e obrigada pela lição partilhada.

Da sempre amiga
Branca
**laura** disse…
Num outro dia, certamente virei com tempo para ler e comentar. Hoje venho denunciar uma situação grave de plágio. Descobri que copiaram um texto meu, mas depois descobri que a autora desse blogue copiou outros textos. O blogue "Geo" foi vítima de pelo menos duas cópias, como poderá verificar:

Original: http://geo-rosa.blogspot.com/2007/05/dia-37-obrigada-blog.html
Cópia: http://euamoumcertorapaz.blogspot.com/2010/05/gracas-deus-tenho-um-blog-pra-dizer-o.html

Original: http://geo-rosa.blogspot.com/2008_09_01_archive.html
Cópia: http://euamoumcertorapaz.blogspot.com/2010/05/despertar.html


Toda a história descrita no meu blogue (http://cores-de-outono.blogspot.com/2010/08/plagio-ii.html).
SIM MEU ANJO ACHO QUE FIZ ERRADO EM PEGAR SEM DIZER QUEM OS ESCREVEU...MAS PEÇO DESCULPAS PELO ERRO.
VENHO ME RETRATAR E DIZER QUE NÃO DEIXAREI DE COLOCAR O NOME E SUA AUTORIA!
ME DESCULPE NOVAMENTE!
BJS.
Dóriam Alves disse…
Não deixe de ler excelente artigo sobre a Lei Maria da Penha e como eu entender porque até o presente, a Lei Maria da Penha tem sido ineficaz, pois a violência doméstica e familiar tem aumentado. Acesse o blog, comente e divulgue: www.valdecyalves.blogspot.com