Dia 193 - O tempo em seu lugar

Não adianta eu dizer palavras que você não entenderá. Você vê somente o que quer enxergar.

Tantas vezes palavras foram ditas que se banalizaram, hoje são como uma pessoa que deixa seu aroma ao passar, quando a percebemos ela não está mais naquele lugar.

A saudade que sentimos é diferente, uma em cada mão, cada uma com seu motivo e sua (falta de) razão.

E você me diz que é melhor se deixar levar, as vezes sim, mas sempre, quando não se sabe onde se quer chegar.

Já ouvi escrito em muitos lugares que quem não tem porto atravessa muitos mares mas não conhece seu próprio cais. E mesmo eu que tento, a todo momento, ancorar em meus alentos, mesmo eu, ainda não encontrei o porto ‘distante’ e ‘perdido’ de onde zarpei.

Quem sabe um dia, por amor ou ironia, nos encontremos novamente. Eu com o amor e você sem as correntes, que te acomodam onde está.

No entanto, para dizer a verdade, eu também sinto saudade, mas ela não perdura sem um lugar que a alimente, e eu... não vou mais alimentar.

Hoje eu deixo o tempo levá-la(lo) para seu lugar.

Comentários

Brancamar disse…
Querida Geo,
Quanta saudade de vir a este seu lugar onde me sinto tão bem.
Adorei o seu texto sobre a saudade, sobre as palavras gastas, os encontros e desencontros.
Lindo demais!
Deixo-lhe um grande beijinho.
Volto breve.
Branca
cantinho she disse…
Olá...gostei daqui!
Beijos
She do Cantinho She
Anônimo disse…
Você gosta de navegar por caminhos ínvios...dificilmente alcançará a meta... Seja mais directa a não ser que adore viver incerta no sofrimento...
J.V.
非凡 disse…
I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^