Dia 221 - Com a palavra "Todos os brasileiros" Gurgel...


Depoimento da professora Amanda Gurgel em audiência pública no dia 10/05/2011, aos deputados do RN (Rio Grande do Norte) / Brasil. Denunciando as condições precárias da educação no Estado mas que refletem em " ipsis litteris" a situação da educação pública no Brasil.

Infelizmente, esta situação vergonhosa é observada e vivida em praticamente toda a rede pública de educação no Brasil. Não falo como educadora, porém, fui aluna da rede pública por praticamente 90% da minha vida estudantil e digo, com propriedade, que a educação que recebi não serviu de base para, se quer, disputar em condições de igualdade, com um aluno da rede particular de ensino, uma vaga na Universidade Federal do meu Estado. Sem considerar a capacidade individual de cada um, a base escolar que recebi, também era precária, pois, apesar dos esforços de meus nobres professores, sofri com as greves, falta de professores (ou professores desmotivados) e a falta de prioridade dada pelo governo a educação.

Não tenho muito o que acrescentar as palavras pronunciadas pela professora Amanda Gurgel. Acrescento apenas em indignação e solidariedade ao caso. E tenho certeza que posso falar em nome de todos os brasileiros, professores e alunos da rede pública.

Os pais, mesmo não sendo professores, são obrigados hoje a multiplicar seus salários, assim como os professores citados pela estimada professora, para que possam dar a seus filhos melhores oportunidades, que seria em primeiro lugar uma educação de qualidade em "escolas particulares". Em minha opinião o governo deveria ter vergonha dessa situação, pais se "matando" para trabalhar para dar mais chances aos seus filhos, porque nem passa pelas suas cabeças que o mesmo estude em uma escola pública, tamanha é a vergonha do brasileiro! 


Do outro lado estão os filhos dos país de salário mínimo, como eu fui. Podem pais que ganham R$ 540,00 (salário mínimo atual) ou menos por mês dar a seus filhos outra educação (oportunidade) que a disponibilizada pelo governo? É óbvio que não!


Pois, somente por curiosidade, informo que uma mensalidade de escola particular, isso ainda no ensino fundamental, ultrapassa a média dos R$ 600,00 em muitas cidades. Incrível não?!! Ainda temos que amargar a especulação do mercado pelas empresas privadas especializadas.

Enfim, cabe ainda mais uma pergunta aos nobres políticos (gostaria muito de tomar conhecimento destes números!!):
- Quantos filhos de vereadores, deputados, prefeitos, governadores, senadores e presidente, estão cursando a escola pública neste momento?

.... (silêncio) ...

Comentários

elvira carvalho disse…
"Cá como lá camarada." É um ditado que não sei se vocês aí usam mas que por cá se usa para dizer que a situação por aqui é mais ou menos a mesma. Penso que essa é uma das razões porque o País está de rastos. Um povo que não investe na educação, não chega a lado nenhum.
Um abraço e uma boa semana
BRANCAMAR disse…
Quando entrei aqui já vinha com o comentário na pnta da língua, neste caso na ponta dos dedos porque é escrito e o conteúdo dele é muito parecido com o que já disse a minha amiga Elvira.

Por cá as coisas não vão muito melhores, ensino cada vez mais decadente e o particular inacessível. Perante a crise instalada já muitos desistiram de fazer curso superior, dado que mesmo no público se tiver que mudar de cidade, as propinas oficiais já não são baratas e não há ajudas para alojamento e deslocações. Por isso algumas famílias optavam pelo particular na sua própria cidade, o que se torna agora incomportável para a maior parte delas. Imagine quando o aluno tem que ficar numa outra cidade e ainda pagar particular, não há ordenado que aguente...

Beijinhos para ti, querida Geo.
Branca
elvira carvalho disse…
Geo tanto silêncio preocupa. Está tudo bem? Espero que sim e que esteja bem e feliz.
Abraço