Dia 331 - Asa Livre (Todo Corvo)


Um pássaro numa gaiola de portas abertas...
A 'liberdade' outrora tão sonhada diante de si...
Mas ele, que tanto a desejou, a porta não atravessa.
Partir já não seria ser livre...
Pois a liberdade que pensava conquistar fora
Agora...
É a sua gaiola.
Então, mesmo que lhe ordenem que vá, ele não irá.
É livre, para provar...
Fecha a porta.


Comentários

Vicente disse…
...ansiamos tanto pela vida que corremos o risco de não chegar a viver e procuramos tanto a liberdade como algo existente fora de nós que não chegamos perto da nossa essência...como ser livres se estamos presos na nossa natureza? ahhhh...como invejo... como invejo Senhor!!! Invejo de forma visceral a asa que desenha no céu, o golfinho que escreve no mar, o sangue quente escorrendo dos dentes do leão. Invejo o murchar das flores e os seus túmulos sem lápides, o sol que nos dá a lua e a lua que nos diz que o sol não se apagou, que apenas se ausentou. Invejo os que ainda não são, enquanto ainda não são... Porque ser, existir, sobreviver, e ver, e ouvir, e julgar, e sofrer, e sofrer, e sofrer... Como pedir a quem sofre para não invejar quem não sofre?.. e ser feio...pedir para não invejar a beleza?... e ser pobre...e ser doente...e não ver...e não andar....e ser explorado...não invejar?!!... Invejo, Senhor, e sou mau, terrivelmente mau, porque sei. Invejo consciente e plenamente. Quero tudo o que não sou. Abro a gaiola a um pássaro e invejo-o, Senhor, porque ele não voou...
elvira carvalho disse…
Talvez o pássaro soubesse que a verdadeira liberdade está dentro de nós, e se não a sentimos viva no peito de nada serve lutar por ela em qualquer recanto do mundo.
Um abraço e bom fim de semana
Branca disse…
Querida Geo,

Vim matar saudades, porque agora já não blogo, mas fui procurando o teu link e vim atràs da Elvirinha. O comentário dela é de imensa sabedoria e eu penso o mesmo.
Vim trazer-te beijos e carinhos.
Branca