Dia 356 - Apenas Conjecturas?

Um suspiro sai de seus pulmões, mas o alívio está longe de existir.
Pensamentos giram em sua mente, a deixando tonta, meio entorpecida...
Divagando, seu peito dói e destrói sua paz aparente.

Do outro lado da cidade o barulho das teclas do computador denuncia que alguém digita apressadamente.
Saberia essa pessoa que outra pensa nela constantemente?
Que um coração dói, que pensamentos voam... Tudo enquanto ela tecla em seu computador...

Isso exemplifica o quanto não sabemos um do outro,
Isso exemplifica o quanto podemos estar errados no que achamos.
Nossas ações causam reações e se espalham por todo lugar,
O que você quer propagar?

E se tivessem feito tudo diferente?
Talvez não estaria ela na janela,
Talvez a digitação apressada teria outra motivação ou destino.
Sim. Seria tudo diferente, mas, mesmo assim...

Não poderíamos ter certeza de nada.

Ela retorna da janela, senta-se e digita apressadamente em seu teclado, denunciando que está cumprindo seu trabalho. Será?
Do outro lado da cidade alguém levanta-se da cadeira e vai tomar um café, no primeiro gole um pensamento...
Um suspiro...
Estaria pensando nela?
Saberia ele que as teclas apressadas seriam as palavras que ele em instantes poderia receber?
E se... ele não receber nada?
Significa que ela não estava pensando nele?
E ela, ao suspirar, pensou que, talvez, ele sentisse o mesmo que ela?
Talvez sim, talvez não.
Eles continuam sem saber.

Quais as chances de acertarmos em nossas conjecturas?
E o quanto elas influenciam em nossas ações?



Postar um comentário