Dia 367 - Vida sem pão


Bocas mais importantes que as palavras...

As 'Palavras' que não são ouvidas...
Ouvidos que não escutam...
Mãos que não consolam, não ajudam...
Antes, seguram, tiram a chance até de si mesmas...
Mãos, que não se salvam, nem a sua própria natureza, sem carinho, que procuram ninho mas órfãs de caridade...
Cabeças pensantes, sem lembranças para guardar...
Cabeças suspensas, sem sonhos, soltas de seu altar...
Cabeças sem Deus, olvidaram de quem fazem parte...
Somente 'Cabeças', essas, com horizontes sem finalidade.
Mãos, onde estão seus braços? Pedindo um trocado de alma, um pouquinho de calma, mais piedade... Mãos, algumas, causando fatalidades, direita contra esquerda, que não aceitam a igualdade.
Onde está sua Cabeça?!
Gritos emudecidos, a quem gritarão?
A cabeça sem corpo, ao corpo sem alma, ao braço sem mão?
Cabeça, onde está seu corpo, sua base? O que te sustenta? O que te faz ser quem é? Onde estão os seus pés? Enraizados, proclamaram independência, fugiram?
Onde está sua fé?
Onde mora seu coração? 
Olhos chocados, visualizando multidões, fragmentos do antes eram chamados... partes que buscam seu próprio rei ou buscam reinado... 
Orgulhosamente despedaçados!
Rumo a solidão, carregando em si o ouro dos parvos.

(Foto Alaaddin's Magic Lamp)
1 comentário