Dia 376 - QUATRO BRAÇOS


A lição de casa do meu filho era escrever o primeiro nome do pai, o primeiro nome da mãe, o primeiro nome dele mesmo e desenhar sua família, ao que ele fez, a sua maneira, lindamente.


No desenho constava tudo que para ele era importante naquele cenário, o papai, a mamãe, ele, o sol, a lua, uma casa cheia de janelas e uma porta, uma árvore cheia de maçãs, que ele descobriu recentemente ser a sua fruta favorita mas que ele só comeu um pouquinho, a Dona Aranha e uma parede para ela subir, um chão de grama verde para todos nós pisarmos, um céu azul que também tem nuvens, todos temos dois olhos grandes e sorrisos felizes, temos corpo magro (fiquei especialmente feliz nesta parte), cabeças pequenas, duas pernas, mas, Quatro braços que estão estendidos na direção dele e os dele em nossa direção, na certeza de um encontro.

Quando lhe perguntei o motivo de Quatro braços ele me olhou como que, obviamente, eu devesse saber, que todo mundo tem Quatro braços, eu sorri e disse:
- Claro meu filho! Claro que todo mundo tem Quatro braços! Está perfeito!

É que, com o tempo, amarramos ou nos esquecemos disso, como vamos endurecendo e nos limitando os sentidos e o sentir. Seja por qualquer motivo ou pela falta de motivos, geralmente, usamos somente os dois braços do corpo físico ou até estes cruzamos.

Pequenos milagres, os recebemos diariamente, ‘pequenos braços’, através de um sorriso sincero, uma palavra de carinho, uma mão de apoio ou um apoio em forma de palavra, desenho... O Amor tem formas infinitas...

Pequenos milagres podem ser lições e não somente presentes... oportunidades de aprendizado que estão por todo lado... e para perceber temos que fazer como uma criança que se coloca, humildemente, a desenhar uma cena... temos que ver ‘o essencial’, com os ‘olhos da alma’... como na frase icônica de Antoine de Saint-Exupéry.

Praticar e fortalecer os ‘nossos braços’, para abraços maiores, mais fortes e cheios de amor.

O antídoto para a cura de todo mal está dentro de cada um de nós e cabe num abraço, 
de Quatro Braços.

1 comentário