Dia 377 - AMAR É SER NINHO

Todas as noites eu canto uma música para meu filho que fala da história de um passarinho.
Canto para ele essa canção desde que nasceu, só que agora ele me pede e tenta cantar junto. Conheço essa música desde criança e, sinceramente, não me lembro onde a aprendi, todavia, me apaixonei por ela desde sempre... 
Hoje posso cantar para ele, que ainda sem a compreender totalmente, também se apaixonou por ela.

A música conta a história de um passarinho que ao aprender a voar cai do seu ninho e fica machucado e muito triste, no entanto, o Dr. Coruja o socorre e o trata. Só que quando a asa se recupera o passarinho vai embora do ninho. 

Acredito que quem a narra é a mamãe passarinho porque no primeiro refrão é evidente o lamento pela escolha do passarinho que, crescido e curado, decide ir embora. 
O tempo passa e um dia ele retorna, já adulto, diz que irá se casar e que retornará porque seu antigo ninho é seu lugar. Então, o refrão fica feliz e diz que ele voou, voou, mas, voltou para o seu ninho e que agora vai ficar.

É uma história simples de muitas lições sobre expectativa, o amadurecimento, a resiliência... Ingredientes essenciais ao desenvolvimento emocional, ao respeito a escolha do outro e a lei do retorno.


Para mim, o passarinho representa o Amor.

Amar é algo muito difícil porque nos força a desenvolver o desapego, ao contrário do que a vaidade instiga e a mídia prega.

É preciso a sabedoria do Dr. Coruja, para remendar nossas asas, curar as feridas e aceitar que o outro é um ser independente, que fará escolhas que, as vezes, podem nos magoar ou que são contrárias a nossa vontade e imagem de felicidade. 
Todos temos as mesmas dificuldades, estamos na mesma escola, só que aprendemos de formas diferentes e, cada um, a seu tempo.

Amar....

Desejar que o outro seja feliz, mesmo quando não estiver ao nosso lado.

Enamorar-se de si em primeiro lugar, desenvolver o afeto, a empatia, a compaixão, para termos o que dar antes de receber e para quando recebermos compreendermos que é um retorno, um eco de nossos pensamentos, atitudes e sentimentos.

Amar...

Não atribuir ao outro a responsabilidade de nos proporcionar felicidade ou contentamento.

É...

Cantar, celebrar a partilha, a vida, presentear do nosso coração...

Não possuir, antes...


Construir, dentro de si, para acolher, porque...

AMAR É SER NINHO e não gaiola.
Nenhum texto alternativo automático disponível.
Imagem "Au lit Miyuki" book's illustration.

Comentários

Elvira Carvalho disse…
Que história tão bonita, princesa. É isso mesmo. Amar é ser ninho.
Um abraço e feliz dia.