Dia 153 - Encontro

Despertar, ver o sol a janela atravessar,
Em meu corpo pousar...
Seus braços, como raios, a me tocar,
Aquecendo-me,
Me provocando,
Iluminando...
Segues comigo todo o tempo,
E quando sinto falta dos seus beijos chega a chuva,
Me acalmando,
Me calando os pensamentos...
Escorres pelo meu corpo,
Tomas o vento e sopras em minha nuca,
Arrepio...
Deixa-me louca a sua procura,
E tanto desejo tira-me o medo e
Meus braços tornam-se extensão de seu corpo,
Liberto a razão e o cuidado...
Nos amamos no espaço,
Onde o tempo não é rei.
Pensar já não conta...
É só sentir, provar, descobrir...
Me enrosco e te prendo,
Doce tormento!
E quando desperto todos os sentidos, os perco...
E quando os perco, te encontro...
E somos UM novamente.
Sem passado, sem futuro...em eternos segundos...
'Presente'.
8 comentários