Dia 75 - Casualidade ou matemática?

<




Li essa semana uma notícia na WEB que dizia:
"Casal descobre ser amante um do outro na web e se divorcia"


Falava de duas pessoas que iniciaram um relacionamento virtual, através de um site de relacionamentos e se apaixonaram. Resolveram então marcar um encontro e se surpreenderam pois na verdade constataram que eram amantes de seu cônjuge e resolveram se separar.


A mágoa maior foi a de saber que eram traídos mutuamente, trocaram confidencias sobre seus problemas matrimoniais e acharam que tinham encontrado em outra pessoa a solução para seus problemas.


Achei muito interessante esta obra do destino, se assim posso dizer, não consegui acreditar que tudo tenha passado de um mero acaso.


É como olhar para um copo e dizer que ele está meio cheio ou meio vazio, tudo depende do ponto de vista.


Então pensei:
- Por que se separaram? Se estavam apaixonados..., seria um contrasenso da minha parte pensar que esta poderia ser a segunda chance do destino, que podem de fato ter nascido um para o outro. Quase que como um raio cair duas vezes no mesmo lugar. Qual a probabilidade disso acontecer?


Mas a outra coisa que mais me chamou a atenção foi o desabafo do marido traído:
"É difícil pensar que Sweetie (nome virtual da esposa), que escreveu coisas tão maravilhosas para mim, é na verdade a mesma mulher com quem me casei e que, por anos, não foi capaz de me dizer uma única palavra agradável".


Antagônico não?!


Ao terminar um relacionamento uma vez resolvi reler tudo que havia escrito para o meu ex e me surpreendi quando percebi que a mulher que escreveu tantas coisas lindas para ele, não era a mesma mulher que lia aquelas cartas, que naquela altura eu não era capaz de lhe dizer uma só palavra daquelas, não...eu não o odiava, mas com certeza, também não o estava amando.


O que é melhor então? Refugiar-se no mundo virtual, digo, em nossa Web interna.
Não dividir nossas aflições?
Não encarar os fatos?
Buscar quem me queira, sem antes dizer a quem não quero mais que acabou?


Nesta situação, caberia dizer que existe ganhador ou perdedor, se ambos praticaram a mesma ação e obtiveram o mesmo resultado?


Acho que acabei de encontrar um exemplo amoroso do "Equilíbrio de Nash".

Comentários

Anônimo disse…
Meu nome é João ( o Vicente)...e não, não acredito no que dizem sobre a relação de nomes e pessoas... Sabe, fui ficando redondo ( leu esse meu post? )...pois é...e agora, ainda que esteja bem...eh, eh, eh...estou com menos cabelo, um pouco mais forte... a Benedita, como tb já escrevi, já não vem nua para a cama...tem alguams pregas onde era lisa por causa dos dois filhotes que teve...e, sim, temos as nossas brigas...mas à noite sempre arranjamos um geito de afastar os nossos fantasmas... amar é dar...tão simples como isso...e não é diferente amar um homem ou um filho...amor é amor...depois há outros sentimentos...paixão, luxuria...sei lá...mas amor...é essa entrega gratuita...
Leu o post onde a benedita me pergunta se posso amar outras mulheres?... pois é assim...claro que podia...o problema das desilusões são as ilusões... não se iluda...um dia ao virar da esquina pode encontrar alguém especial... mesmo saciada sentirtá sede... n

ao perceberá porquê...pois está satisfeita...mas sentirá sede....
Eu perguntava à Benedita porquê eu e não outro homem....assim:
-Porque é que gosta de mim, porque é que me amas, porquê eu e não outro?

-Oh, tu sabes bem, que raio de conversa! E fica a saber que eu não poderia amar nenhum outro!!!

-Está bem, mas só para me fazeres a vontade diz-me porquê?

-Porque és bonito, inteligente...(notava-se que os elogios lhe saíam a custo depois de não ter sido elogiada)

-Mas há muitos homens bonitos e inteligentes, alguns, não muitos (digo a brincar), mais bonitos e inteligentes do que eu...

-Honesto, trabalhador...

-Com certeza que também há muitos...

-Bem, por seres fiel é que não é....

-Estás a desconversar. A pergunta mantém-se, porquê eu?

-E tu, porquê eu, vá?

-Eu perguntei primeiro.

-Não sei. E o sabichão sabe?

Não eu tb não sabia e se não sabemos quem nos diz que ao virar da esquina está alguém de quem saberiamos a resposta. Muitas vezes ficamos com alguém porque não temos escolhas...quem conhecemos?...eu, por exemplo, nynca saí de Portugal...quem me diz que o amor da minha vida não está na russia?...entende...
daí que criam-se ilusões e depois desilusões...procura-se não envelhecer...não se percebe que as engelhas na pele porque uma mulher nos dá dois filhos é uma outra beleza...
Vou longo...mas este seu post é de antologia...vou refeletir e hei-de voltar a ele...
PS - O seu Amor está ao virar da esquina...tenho a certeza
Um Beijo
João ou Vicente
Anônimo disse…
Olá Geo...ainda que todos tenhamos os nossos refugios nenhum é bom se nos impedir de viver. Sbe, os monges budistas acreditam que não agindo não interferem na ordem natural das coisas e por isso não fazem mal...pois a não acção é uma acção talvez mais poderosa. Refugio em qualquer mundo virtual será viver?...sabe bem que não!...mas no mundo corremos o risco de sair magoados, violados, etc., etc....sim, sem dúvida...mas para receber um beijo quente e húmido...uau...vale o risco...sabe bem!...Augusto Cury, conhece?...penso que ele é famoso aí no Brasil....pois aqui, em mim, tb tem um fã, ...dizia eu que ele diz que uma pessoa esperta aprende com os seus erros...mas uma inteligente aprende tb com os erros dos outros...ora a história que nos relata que sirva de lição...comecemos por dar atenção ao que temos ao nosso lado e a investir nessa relação....e quando acabou...acabou!
Port último os seus slides....devo dizer que sou muito sensivel à beleza...Torga falava dela, da beleza, como o alimento que para quem estava farto de pão andava esfomeado...e as suas fotos são belas... e inspiradoras...
Um Beijo e bom fim de semana
Vicente
elvira carvalho disse…
Oh! Geo, depois do meu amigo Vicente ter comentado, quase me sinto envergonhada de vir comentar.
Mas mesmo assim vou avançar.Mas primeiro vou esclarecer. Quando eu digo, Vicente, eu sei que o verdadeiro nome dele é João. Mas eu penso que o João está lá na intimidade da casa dele com a Benedita, e os filhos. Quando uma pessoa arranja outro nome, é porque quer perservar o seu intimo dos outros. Pode ser que eu esteja errada, mas é o que penso. Então sempre lhe chamo Vicente. O Vicente é um amigo, que pela idade podia ser meu filho, é um poeta nato, de que gosto muito, e uma pessoa estupenda. O João é um homem que desconheço. Repito que é o que penso, e que posso estar errada, mas por pensar assim uso o elvira carvalho que é o meu verdadeiro nome.
Pronto, agora vou comentar o seu post.
Gostei muito da apresentação dos slides. Achei-os muito bonitos sem serem vulgares.
A estória, eu penso que Deus lhes quiz dar a oportunidade de voltarem a ser quem eram, quando se casaram.
Porque o marido pode ter dito que a mulher não lhe dizia frases bonitas, mas alguma vez lhas teria dito, pois por alguma coisa ele se teria apaixonado.
Pessoalmente eu era incapaz de me apaixonar, pela net. Eu precisava ver os olhos dum homem para me apaixonar.
Tenho 60 anos, e 42 de casada. Por certo nestes 42 anos surgiram muitos problemas, que fomos ultrapassando de olhos nos olhos.
A minha infertilidade, quase acabou comigo e com o casamento. Mas não por causa do meu marido que sempre me apoiou e se prestou a todos os tratamentos que eu quiz fazer. Um dia fui ás compras com o meu marido a um minimercado. Lá estavam a comentar que uma mãe tinha abandonado o filho recem-nascido, o marido e a filha. E o homem que não podia ficar com o menino, e que ia levá-lo para a Santa Casa da Misericórdia.
Nunca mais me hei-de esquecer. Eu olhei para o meu marido e ele disse- me: Vamos lá.
Perguntámos onde morava o homem, fomos lá e perguntámos se ele nos dava o menino para adopção. Trouxemo-lo logo e no dia seguinte fomos tatar de legalizar a situação. Há 27 anos a adopção era complicada e demorada. O Pedro já tinha 3 anos quando ficou tudo legal.
E bom temos 42 anos de casados, mandamos bilhetinhos amorosos um ao outro, andamos de mão dada,beijamo-nos várias vezes ao dia, e fazemos amor... com amor.
E sim amiga acredito que um dia ao virar da esquina encontrará alguém especial. Que a vai fazer muito feliz.
E só me resta pedir desculpa de ter posto a nu a minha alma.
Um beijo e bom fim de semana
elvira carvalho disse…
Geo, quando puder passe pelo Sexta-feira. Tem lá um prémio.
Jinho e bom Domingo