Dia 162 - Geo


Caminhaste pela praia
de encontro ao mar
Sabias ser lua cheia
mas não havia luar.
E a cada onda bravia
que se quebrava na areia
logo outra a seguia
e mais forte se erguia,
grito de espuma branca.
Olhaste longamente o céu
e o teu colo era de garça
quando abrindo os braços
deslizaste para a água.
Sabias ser lua cheia
mesmo sem haver luar.
Quando sobre teus passos
de promessa já cumprida
luminosa retornaste
rescendias maresia.
No olhar trazias estrelas
e a magia velada
de tua entrega ao mar.

Eugénia Tabosa
http://recantodasletras.uol.com.br/poesias/375190
Publicado em 09/02/2007
........




Este poema recebi de minha querida amiga Elvira (Blog Sexta-feira, http://6feira.blogspot.com/) no dia 14/11/08, na sexta-feira passada.

Obrigada Elvira!
Não me dei conta de que o nome do poema era o mesmo do Blog, até procurar saber mais de sua autora nesta data, já havia ficado muito feliz com este presente, agora fiquei mais encantada! Beijos!

Se acredito em sinais?
Eu não acredito em acaso...rsrsrs...

Comentários

elvira carvalho disse…
Princesa, perdoe a minha ausência.
A saúde não está tão bem como eu queria, e por isso também não posso andar tanto por aqui como queria.
O nome do poema é o nome do blog, e também o diminuitivo do seu nome.
E o poema é lindo.
Um abraço
Brancamar disse…
Que coincidência maravilhosa e que poema fantástico, daqueles que me comovem e deliciam e ainda por cima com sabor a mar.
Beijinhos para ti.
Branca