Dia 112 - Percepção

Sinto-me servida como uma entrada

Num jantar para o qual não sou a convidada

Sinto o ambiente

Sinto a penumbra

Me sinto aconchegada

Embriago-me como quando num bom vinho bebemos a felicidade

Mas bebo água

Dos sabores doces tenho a esperança

Que perdurem no céu da minha boca

Onde posso manter as estrelas sem luz própria, desde que as alimente

O cheiro do prato principal me atrai

Por um momento vejo-o vindo ao meu encontro

Mas como miragem se desfaz

Então sinto a abstinência, como se estivesse presa num deserto

Sinto o gosto do que não foi provado

E fico a ter ilusões de oáses que não existem

Mas persistem em mim

E assim o jantar prossegue

Sorrio com elegância

Seguro os talheres corretamente

Risos e conversas agradáveis

Tudo perfeitamente normal

Sinto até que não preciso do prato principal, afinal,

Estou aparentemente saciada e satisfeita

Bebo e transpiro excitação

Entrego-me como se estivesse fazendo uma declaração

Mas as velas sobre a mesa se apagam

Finalizando sem emoção este jantar sem sobremessa

Então sinto 'fome'.

6 comentários