Dia 116 - Do que chega e do que vai embora

Por que me deixa ir embora tantas vezes?

Me pergunto sempre isso.

Também me pergunto por que não vou embora?

Poderia ter ido...tantas vezes - sempre penso nisso.

Mas não fui...sempre fico, como agora...aturdida.

Se até as lágrimas vão embora...

Até o aperto do peito não demora...

Tudo chega e vai embora.

Sem tempo...

E no tempo perfeito.

Eu não queria ir embora.

Queria ficar...não só...mas aqui...mas agora...

Dentro, não do lado de fora.

Por que não me abraça e diz:

- Outra hora...não agora. Fica. É tudo que quero, não vá embora.

Mas o som que escuto é o da porta batendo e indicando...

Mais um adeus e até outra hora. Mas não agora.

E as lágrimas chegam e vão embora...quando ouço o bater da porta.

Saem de mim...escorrem e não voltam, marcando o rosto, o último retrato...

Que fica do lado de dentro...enquanto o coração fica do lado de fora.

Por isso as lágrimas saem e me deixam...mas elas sempre chegam e vão embora.
Como agora.

4 comentários