Dia 123 - Calcanhar

Não podes ver minhas lágrimas,
Mas eu posso sentir sua dor.
Um dia secaste minhas lágrimas com seu carinho.
Um dia, quando minhas lágrimas eram de dor.
Me disseste:
- Não chores menina, encosta-te a mim, que lhe dou amor.
E assim a dor não encontrou mais rima,
E o sol voltou a brilhar.
E mesmo a chuva, que era cinza, tornou-se cristalina,
E onde tocava, não molhava, mas acariciava.
E versos e rimas dançavam, num bailado perfeito.
E até sobre a água pude caminhar.
Vi montes, castelos, princesas,
Fui guerreira e escrava de um reino além mar.
Um dia me deste sem nada pedir,
Um dia me presenteaste com seu olhar,
Mas a partida não tarda a chegar.
Por isso em lágrimas guardo as asas de Ícaro,
Que tantas vezes usei para cruzar nosso mar.
Mudarei de história, pois me sinto Aquiles...
Quando descobriram a fragilidade de seu calcanhar.
5 comentários