Dia 90 - Tempo e momento

Ela o fitou nos olhos...estavam de mãos dadas, havia ternura naquele olhar, no dela, lágrimas.

Por um instante tocou-lhe o rosto, passou os dedos sobre suas sobrancelha e a ajeitou. Olhos tristes ele tem, daqueles que pedem colo o tempo todo - ela pensou...mas não falou.

Passou a mão sobre os cabelos dele, em seus dois redemoinhos, ele riu, baixou a cabeça e aceitou o carinho.

Mas o tempo já havia se esgotado e ambos estavam cansados, tinham que cumprir o trabalho diário a eles delegado.

Corações partidos são assim: doem, ficam perdidos e desconsolados. No entanto, a mente racional e pragmática estava em ação e queria a todo custo convencê-los de que estava certa e eles errados. E conseguiu.

E iniciou-se a partida...

As mãos se descruzaram...

Os olhos se turvaram...

A voz embargou...

A música do silêncio começou a tocar...

Se deram um abraço com nó na garganta, pressão da lembrança e um fio de esperança, tudo junto, misturado.

Distrairam-se por um momento naquele abraço e se encontraram, como se conheceram.

Mas não durou o encanto, e era este o mesmo motivo de tanto palavrear...

Mas de nada adianta falar, quando temos que sentir.

Há hora para tudo neste mundo, está escrito em Gêneses e vivenciamos aqui.

Verdade seja dita, de muitas coisas não sabemos...mas a vida é e sempre será marcada...

Por chegadas e despedidas.
Mesmo que por um momento.


5 comentários